Pegando mais leve ao ritmo de Soul


Estava eu voltando do mercado a pé, pois nos últimos dias eu tenho tentado poupar o combustível ao máximo, enquanto escutava uma das estações que mais adoro na Accuradio: Soul Classics 1956-65. 

Realmente amo de paixão a música que se fazia no cenário soul norte-americano entre os anos 50 e 70. Talvez tenha sido influência do filme The Commitments - Loucos pela Fama (Alan Parker, 1991), que me fez cair de amores por este estilo! 

Mas o fato é que enquanto desligava do problema da falta de abastecimento, greve de caminhoneiros, pendências de consultoria e perrengues da dança, tocou uma música cujo cantor tinha a mesma voz do Mick Jagger. Então eu pensei, algo estranho aqui... e fui ver quem era. 

Eis que descubro mais um artista maravilhoso dentre tantos que eu já escuto há anos (vide a tag aqui no blog): Don Covay. Que voz!!! Pelamor!!!

Perfeito para seguir a caminhada, pensando que, às vezes, a vida manda a gente pegar mais leve e, mesmo diante de circunstâncias pra lá de estressantes, desacelerar é imprescindível.

A propósito, deixo o link pro filme aqui também, caso alguém não tenha visto ou queira rever! :)

Uma musiquinha para começar....


Daí a gente parte pro full album, que merece ser escutado do início ao fim!



E se sobrar tempo, olha o filme The Commitments aqui! Trilha sonora mara!!!
(fiquei até nostálgica, gente!)

Domingo com Adan Jodorowsky

Desde que cheguei de viagem eu não consegui parar um só dia para descansar e ficar em casa sem fazer nada. A exposição que iremos inaugurar em abril está demandando todo o tempo que me resta quando não estou na OF, no Sesc ou no Icab. Mas está ficando linda, simplesmente lindaaaaaa!

Hoje, quando eu vejo tudo que fizemos até aqui com tão pouco apoio... fico imaginando como seria se tivéssemos mais recursos além dessa determinação, coragem e uma vontade enorme de ver as coisas acontecendo! Sério mesmo, estamos muito felizes com o resultado!


Este domingo foi reservado inteiramente para trabalhar nos textos que farão parte da divulgação e descrição das fotografias. Rever essas fotos é uma viagem incrível e não me canso de olhar para elas!

Musiquinha para embalar? Por incrível que pareça, ainda não rolou música andalusí por aqui hoje (vai rolar flamenco, andalusí e tudo a que eu tenho direito, pois o dia será longo!). Desde cedo escutando Adan Jodorowsky, pois recém-descobri este novo álbum e estou encantada!


Espero que gostem também! E espero por vocês na abertura da exposição no dia 12 de abril no Museu Nacional dos Correios aqui em Brasília!

Leon Bridges.... ou, com alma a gente vai mais longe

O mês de novembro foi punk para mim em vários aspectos: véspera de espetáculo, muito trabalho, cansaço, Moha viajando... teve a tal gastroenterite que me gerou alguns outros problemas, os quais ainda estou tentando contornar. As ites já estão bem melhores agora do que há algumas semanas, mas ainda sinto dores nos tornozelos e joelhos, preciso tomar analgésico, fazer acupuntura e usar o tal do skechers, já que é a única coisa que alivia o impacto da caminhada e acomoda bem meus pés inchados. Mas o lado bom é que já voltei a taconear! Pouquinho, mas já voltei! Consegui dançar no espetáculo da escola. Apenas 3 músicas, mas dancei! Aproveitei para colocar projetos, que estavam parados, em dia. E de pouco em pouco a vida volta ao normal.


Tentando manter a cabeça serena, trabalhando a paciência, fazendo tudo com calma e com alma... porque com alma a gente vai mais longe! E nada melhor do que soul music pós espetáculo para embalar essas manhãs chuvosas de dezembro. Vamos driblando o cansaço e sonhando com os merecidos dias de descanso que estão por vir!

Coisa linda de ouvir é o jovem Leon Bridges, que, apesar da pouca idade, faz com que a gente se sinta voltando no tempo e caindo de para-quedas lá pelos anos 1960! Que maravilhaaaaaaaa! Estou encantada e não paro de escutar.




Adote o ritmo da natureza. O segredo dela é a paciência.
Ralph Waldo Emerson

Em tons sépia

Algumas pessoas estão fazendo uma preparação tão minuciosa para os dias de chuva que eles não estão aproveitando o brilho do sol de hoje.
William Feather


Será que sou só eu ou mais gente associa essa época do ano (que em Brasília é seca pra caramba, embora eu ache linda) a tons de sépia, sons de raiz e um bocado de aconchego?


Falando nisso, há poucos dias, encontrei um canal no youtube que publica periodicamente compilações de músicas indie/pop/folk gravadas por artistas independentes. É tudo de bom e, de alguma forma, cai super bem nessas tardes rosadas de setembro. Aí vai uma das seleções disponíveis! 

 

Danza el aire

Agosto passou voando e não consegui escolher sequer uma música para postar aqui...

Os projetos vão se concretizando bem lentamente, mas o curioso é que as coisas têm acontecido quase que simultaneamente e, por isso, a impressão de que tá tudo corrido. Mas tá ótimo! Oxalá até o final do ano tenhamos mais boas surpresas para celebrar! 


Enquanto esperamos para colher alguns frutos, musiquinha linda para celebrar a primavera que está quaaaaase aí! Ja já chuvinha para anunciar a chegada da estação mais linda! 

Vamos a vivir la vida como si fuera un momento, tú y yo y tú...
    

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails