O tempo urge


É assustador, mas a gente percebe que está ficando velha quando, entre outras coisas, vê o filho da Cássia Eller lançando CD! hehehehe! A propósito, ele é a cara dela, não acham?


Bom, filosofia barata para início de agosto e de inferno astral... vamos que vamos, pois o tempo urge!

- O que faria se soubesse que tem menos de um minuto de vida?
- Faria cada segundo valer a pena!
~ Contra o tempo (Source Code)

Canned Heat, blues e um sábado à toa

Ontem foi um daqueles aproximadamente 15 sábados do ano em que eu não dou aula. Rotina que se mantém há exatos 18 anos e que eu adoro.

Meu amor à OF é tanto que eu sequer sei como aproveitar as manhãs de sábado quando não estou por lá. Chegamos cedo e ficamos na escola apenas até as 10 horas e depois saímos para resolver algumas coisas. Eu aproveitei para passar na Komboleria, um café da asa norte que vende produtos sem glúten e sem lactose. Tomei um expresso, provei uma fatia de bolo e trouxe pra casa alguns pãezinhos e um maravilhoso chutney de tomate que a vendedora me ofereceu para degustar e que eu amei.

De lá, voltei pra casa, organizei um monte de coisa, comecei a preparar as aulas do curso teórico que teremos esta semana e depois fui ler um pouco. Como eu não consigo ler escutando flamenco, pois eu fico marcando o compasso das músicas e me distraio, eu normalmente gosto de estudar ou passar o dia com um bom livro acompanhada de música clássica, bossa nova ou blues.

Ontem, escolhi blues para embalar a leitura. Me lembrei que eu havia anotado o nome de vários artistas de uma playlist do Song Pop (sim, eu jogo quando tenho tempo e me divirto horrores hehehe!) e lá fui eu selecionar alguns clássicos que desejava escutar. Cannet Heat foi um deles.

Apaixonada pela música On The Road Again, eu devo ter ouvido provavelmente umas 18 vezes de ontem pra hoje. Já até procurei os acordes para tocar no violão! (A propósito, preciso praticar o violão com mais disciplina. É que eu ando tendo um caso de amor com minha máquina de costura e está difícil me manter afastada dela nas horas vagas.)



Resumo da ópera: fazia tempo que eu não tirava um sábado para fazer absolutamente nada importante. Estava precisando. No final do dia ainda deu para ir à uma festinha julina com Lauris, Gus e Lipe. Pena que Moha está viajando. Teria sido ótimo tê-lo por aqui este final de semana! Foi simplesmente leve!

Ah, isso tudo para escrever que, após escutar muito Canned Heat, eu comecei a pesquisar um pouco mais sobre a banda e acabei encontrando este blog sensacional, que merece ser visitado muitas outras vezes! Descobri que um dos líderes da banda faleceu super jovem, aos 27 anos (é ele quem canta neste vídeo abaixo). O outro líder da formação original também faleceu jovem, 11 anos depois, mais ou menos. O mais interessante é que a banda permanece ativa até  hoje e por ela já passaram mais de 40 integrantes!).

O melhor método para viajar? A música.
B.B. King

Sobre o aceitar e um café para acompanhar


Como temos dificuldade em aceitar algumas coisas, não? Se pudéssemos ter sempre a serenidade de olharmos as situações incômodas como parte de nosso processo de aprendizado, quem sabe, as coisas poderiam se tornar mais fáceis e, consequentemente, a vida mais leve.

Façamos deste desafio um exercício diário. Com paciência, boa música, ótima companhia e um café para acompanhar, pode ser que a gente nem dê tanta bola assim para aqueles dias mais ásperos.

Se eu aceito o sol, o calor, e o arco-íris, preciso aceitar também o trovão, a tempestade, e o raio. 
~ Khalil Gibran


Ai, a felicidade

"Sair da zona de conforto é uma decisão e é um custo sair da zona de conforto. [...] Mudar é muito difícil, não mudar é fatal."

(Leandro Karnal)


Por uma vida onde a gente não precise acreditar que, para ser feliz, uma pessoa precise provar que é bem sucedida financeira e profissionalmente. No fundo, a sociedade de consumo em que vivemos é artificial demais... coisa boa é conseguir distanciar-se um pouco desse desvario.



Vale super a pena assistir a este trecho de palestra do filósofo e historiador Leandro Karnal sobre "A vida que vale apena ser vivida em tempos líquidos".



Rock psicodélico para deixar rolar

Em tempos de muito pouco amor pelas redes sociais... coloca uma musiquinha e deixa rolar.



Se for rock psicodélico então, no mínimo, no mínimo, você vai desanuviar por algumas boas horas.

"De que maneira falas: como quem pontifica ou como quem edifica? Se falas como quem pontifica, prepara-te para as mais angustiosas decepções, porque todos os “pontífices”, com suas verdades definitivas, serão reduzidos a zero, mas, se falas como quem edifica, ajudas a ti mesmo e ao próximo, porque desenvolves a tua Natureza Divina e estimulas a Natureza Divina em quem te ouve." (Luiz Antônio Millecco ~ O Canto da Vida, ditado pelo espírito Delfos)





LinkWithin

Related Posts with Thumbnails