Leon Bridges.... ou, com alma a gente vai mais longe

O mês de novembro foi punk para mim em vários aspectos: véspera de espetáculo, muito trabalho, cansaço, Moha viajando... teve a tal gastroenterite que me gerou alguns outros problemas, os quais ainda estou tentando contornar. As ites já estão bem melhores agora do que há algumas semanas, mas ainda sinto dores nos tornozelos e joelhos, preciso tomar analgésico, fazer acupuntura e usar o tal do skechers, já que é a única coisa que alivia o impacto da caminhada e acomoda bem meus pés inchados. Mas o lado bom é que já voltei a taconear! Pouquinho, mas já voltei! Consegui dançar no espetáculo da escola. Apenas 3 músicas, mas dancei! Aproveitei para colocar projetos, que estavam parados, em dia. E de pouco em pouco a vida volta ao normal.


Tentando manter a cabeça serena, trabalhando a paciência, fazendo tudo com calma e com alma... porque com alma a gente vai mais longe! E nada melhor do que soul music pós espetáculo para embalar essas manhãs chuvosas de dezembro. Vamos driblando o cansaço e sonhando com os merecidos dias de descanso que estão por vir!

Coisa linda de ouvir é o jovem Leon Bridges, que, apesar da pouca idade, faz com que a gente se sinta voltando no tempo e caindo de para-quedas lá pelos anos 1960! Que maravilhaaaaaaaa! Estou encantada e não paro de escutar.




Adote o ritmo da natureza. O segredo dela é a paciência.
Ralph Waldo Emerson

Em tons sépia

Algumas pessoas estão fazendo uma preparação tão minuciosa para os dias de chuva que eles não estão aproveitando o brilho do sol de hoje.
William Feather


Será que sou só eu ou mais gente associa essa época do ano (que em Brasília é seca pra caramba, embora eu ache linda) a tons de sépia, sons de raiz e um bocado de aconchego?


Falando nisso, há poucos dias, encontrei um canal no youtube que publica periodicamente compilações de músicas indie/pop/folk gravadas por artistas independentes. É tudo de bom e, de alguma forma, cai super bem nessas tardes rosadas de setembro. Aí vai uma das seleções disponíveis! 

 

Danza el aire

Agosto passou voando e não consegui escolher sequer uma música para postar aqui...

Os projetos vão se concretizando bem lentamente, mas o curioso é que as coisas têm acontecido quase que simultaneamente e, por isso, a impressão de que tá tudo corrido. Mas tá ótimo! Oxalá até o final do ano tenhamos mais boas surpresas para celebrar! 


Enquanto esperamos para colher alguns frutos, musiquinha linda para celebrar a primavera que está quaaaaase aí! Ja já chuvinha para anunciar a chegada da estação mais linda! 

Vamos a vivir la vida como si fuera un momento, tú y yo y tú...
    

O ipê rosa

Não sei explicar, mas de um tempo pra cá tem uma música do Walter Franco que me vem à mente cada vez que eu fotografo um ipê rosa:

Amor, vim te buscar
Em pensamento
Cheguei agora no vento

Linda, né? E antiga também... não é da minha época não! hahahaha

Em homenagem à temporada mais linda do ano, aí vai uma das imagens feitas por mim que eu mais gosto. Pena que na época em que eu fiz o clique eu não tinha uma câmera boa no celular.


E agora, claro, a tal música do Walter Franco. Ah, e mais outra dele que eu também adoro!






Inverno e paz



Tá frio nesse inverno aqui na capital federal, não? Esta não é a minha estação favorita, mas confesso que é a época em que acho a cidade mais linda, pois os ipês florescem e as noites de céu limpíssimo são simplesmente inspiradores. A prova de que nada é 100% bom ou 100% ruim. 


Quero tentar aproveitar o mês de julho para retomar alguns projetos pessoais. Nesses momentos em que a mente precisa se organizar, uma música mais tranquila faz um bem danado. Que tal esta delícia de álbum? Stone Flower foi gravado por Tom Jobim em 1970 e, embora já esteja com 40 e poucos anos, ainda me parece super atual. 



Mas o que quer dizer este poema? - perguntou-me alarmada a boa senhora.
E o que quer dizer uma nuvem? - respondi triunfante.
Uma nuvem - disse ela - umas vezes quer dizer chuva, outras vezes bom tempo...
Mario Quintana

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails