Tina Turner e as crianças do Children Beyond


Achei a iniciativa linda! Tina Turner acompanhada de 30 crianças em uma bela gravação do mantra védico "Sarvesham Svastir Bhavatu" (Que Todos os Seres Tenham Auspiciosidade”, ou “Bem-Estar”, numa tradução mais coloquial). A gravação fez parte do projeto "Children Beyond", que também conta com orações e mantras do Budismo, Cristianismo, Hinduísmo, Judaísmo, Islamismo e Sikismo. Enfim, um projeto para contribuir para a paz e a tolerância. 
♥♥♥ 

 

Beshar Al Azzawi


Simplesmente adoro Beshar Al Azzawi! Esse músico iraquiano, além de possuir uma voz lindíssima, às vezes nos proporciona uma mescla de dois estilos que eu amo demais: a música árabe e o flamenco. :)

 




Azam Ali, Clarice e um pouco de introversão


A violeta é introvertida e sua introspecção é profunda.
Dizem que se esconde por modéstia.
Não é. Esconde-se para poder captar o próprio segredo.
Seu quase-não-perfume é glória abafada mas exige da gente que o busque.
Não grita nunca seu perfume.
Violeta diz levezas que não se podem dizer.
~ Clarice Lispector (in Água Viva)


 

Belle & Sebastian

Belle & Sebastian para embalar o fim de semana! :) Em busca de inspiração para escrever a bendita da tese!



   

I want the world to stop (I want the world to stop) 
Give me the morning (give me the understanding) 
I want the world to stop (I want the world to stop) 
Give me the morning, give me the afternoon 
The night, the night  

Registros de Andalucía - Granada

Dando sequência aos posts anteriores com dicas sobre a Andaluzia, esse de hoje é inteiramente dedicado a Granada, último baluarte mouro da Espanha, que foi passado para as "mãos" dos reis católicos em 1492, mas nunca perdeu seus traços árabes. 

Granada é uma cidade é tão linda e tão charmosa que nem mesmo é preciso um monumento específico para querer sair e passear pelas ruas, sentar-se em um café ou bar, seja para tomar um Tinto de Verano ou uma Sangria. O clima da cidade é realmente uma delícia! 

Sempre sugiro aos amigos e amigas que se hospedem em lugares centrais que permitam sair para bater perna pela cidade. Por lá, recomendo pagar por um daqueles tíquetes de passeio de ônibus (city tour), pois com ele dá ir a alguns lugares mais distantes e voltar para centro, como, por exemplo, à encosta que da acesso à Alhambra, ao Albaicín e ao Bairro de Sacromonte, que é o berço cigano daquele lugar e vale a pena visitar. 


Outra dica que sempre dou é das pessoas comprarem com antecedência as entradas para a Alhambra. É só entrar no site e comprar, pois assim é possível escolher o horário da visita ao principal palácio que tem lá, pois apenas ele tem horário de visita marcado. Dependendo da época do ano, fica cheio e aí pode ser que vcs tenham que esperar algumas horas para entrar. 


Sobre a Alhambra, o lugar é deslumbrante. Levem máquina fotográfica com bastante espaço para poderem registrar tudo. É maravilhoso, a gente passa horas se deslumbrando com os palácios, os jardins, a vista da cidade... Acho que é bom reservar para a Alhambra umas 3, 4 horas no mínimo (no mínimo mesmo). Lembrem-se de levar água também e de irem com roupas e calçados bem confortáveis (Granada é meio parecido com Belo Horizonte, tem umas subidas que cansam rsrsrs). E na Alhambra, tem muito lugar para andar, os jardins são imensos. E tem ainda o Generalife, que seria uma espécie de "casa de verão", onde os reis muçulmanos iam descansar. 


Dependendo da hora em que o/a visitante sair de lá, ainda dá tempo de ir ver o por-do-sol no Mirador de San Nicolas, que fica no Albaicín. De lá, vcs vão ver o sol batendo na Alhambra, e entenderão porque ela recebeu esse nome. Alhambra significa A Vermelha em árabe (Al hamra) e esse nome se deve à cor que o complexo arquitetônico fica quando a luz do sol bate sobre ele. O melhor lugar para ver isso é neste mirador. É um dos lugares mais gostosos de Granada e eu considero visita obrigatória. O fim da tarde é realmente deslumbrante lá. :)) 


O Albaicín é um lugar fácil de se perder porque as casas são todas branquinhas, tem subidas, descidas, ruelas... é tudo meio parecido. O ônibus vai até um lugar bem pertinho do mirador. Da para perguntar às pessoas em caso de alguma dúvida também. O bairro é muito charmoso. No passado, havia muitas mesquitas, pois havia uma população muçulmana bem grande. Mas depois foi praticamente tudo destruído. No entanto, ainda dá para perceber o quanto a cidade é "moura", como eles mesmos dizem. 

Dá para notar isso em tudo por lá... inclusive na quantidade de marroquinos que agora estão pela cidade, com suas casas de chá, de artesanato etc. Ali pela Plaza Isabel la Católica, existe uma rua subindo que é toda meio árabe. É de uma beleza ímpar, pois as lojas são todas de imigrantes, tem restaurantes, casas de chá. Eu considero muito bonito mesmo. Ali na Isabel também dá para comer bem, ou pelo menos tomar uma sangria. 


Não deixem de ir ao Corral del Carbón, que não fica muito longe dessa praça... é um lugar onde funcionava com pousada aos viajantes, tinha armazéns e por onde passava muita gente. Data do século XIV e é ainda um dos mais emblemáticos resquícios da época do Al-andalus na região. Às vezes ocorrem apresentações de flamenco maravilhosas por lá. Tem inclusive um festival de música por ali no verão... 

A catedral é belíssima também, e não fica longe desse centro que eu mencionei acima.... dá para ir a pé. Atenção para aquelas pessoas que ficam oferecendo florzinhas na porta das igrejas, pois depois elas não saem mais do pé até ganharem algum trocado. A abordagem e a pressão é muuuuuito chata e desconfortável. 

Para ir a Sacromonte, que é um bairro cigano, eu recomendo o ônibus mesmo. O lugar é um charme e vale o passeio. Lá tem um museu que eu adorei, chamado Centro de Interpretación de Sacromonte. É interessantíssimo! 


Um outro lugar que me surpreendeu e me encantou imensamente em Granada foi o Parque de las Ciencias. É maravilhoso e você volta a ser criança por lá. Eu fui em uma viagem com as minhas irmãs e adiei a visita até o último dia. Por fim decidimos ir e eu agora indico para todo mundo, pois é sensacional e divertidíssimo. É um parque todo voltado para ciências, mas super lúdico, bem organizado e que diverte pessoas de todas as idades. Recomendo demais :))


Ah, locais onde se encontra flamenco de excelente qualidade em Granada: Peña Flamenca La Platería, Museo de la Zambra, Le Chien Andalou (antigo Upsetter) e Jardínes de Zoraya. :))

Bom, esses são os lugares que eu mais gosto lá... Sei que Granada possui ainda muitas outras atrações e possibilidades de passeio. Por exemplo Sierra Nevada, a Huerta de San Vicente, que é a Casa Museo de Federico García Lorca, por quem sou apaixonada. Mas as dicas que eu mencionei acima eu dei para pessoas que tinham muito pouco tempo para visitar a cidade e por isso acabei enxugando alguns pontos importantes! 

Luigi Boccherini


Luigi Boccherini (Lucca, 19 de fevereiro de 1743 — Madrid, 28 de maio de 1805) foi um compositor clássico italiano, famoso por vários dos seus minuetos, como o de Lá Maior. Virtuose do violoncelo desde muito jovem, mudou-se em 1756 para Roma e, a partir de 1757, foi convidado a tocar na orquestra do Teatro Imperial de Viena. Radicado em Madri desde 1769, Boccherini ocupou o cargo de músico da corte e dedicou-se de corpo e alma a sua produção musical, alheio às intrigas que o rodeavam. Infelizmente, e como aconteceu com vários outros músicos ao longo da história, depois de perder as simpatias da corte e a popularidade, Boccherini viveu seus últimos anos atormentado pela miséria e doença. Morreu em Madrid em 28 de maio de 1805. Esse Fandango maravilhoso, que data de 1798, é simplesmente apaixonante, não? 

Espero que gostem! :)

UB40 para dias de sol



Nunca fui muito fã de UB40, embora eu goste de várias músicas que marcaram minha adolescência... Hoje, talvez pelo sol lindo que está fazendo em Bsb e a vontade de criar uma atmosfera que combine com essa estação do ano, resolvi escutá-los. Deu certo! O dia ficou muito mais leve e com cara de verão!






LinkWithin

Related Posts with Thumbnails